Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

05 julho 2012

O Teu Rosto Será o Último


João Ricardo Pedro balança, com habilidade, entre o humor e a tragédia, pelo que o romance se lê, às vezes, com um sorriso nos lábios, outras vezes, com um nó na garganta. No seu essencial, é um livro sobre as partidas que a vida nos prega, das quais saímos amputados, seja fisica, seja psicologicamente. E, muitas vezes, a amputação é voluntária. Não vou, contudo, aprofundar este tema, pois corria o risco de dizer demais e não quero tirar o prazer a quem tencione embarcar nesta leitura.

Mas (e há quase sempre um mas) no texto da contra-capa refere-se a sua "estrutura exemplar" e, quanto a isso, tenho as minhas dúvidas. Está escrito em "episódios aparentemente autónomos" e o próprio autor teve já ocasião de explicar que as cerca de duzentas páginas resultam de uma seleção de mais de mil. Não ponho em causa a qualidade da escrita em cada uma das páginas, mas, sim, a sua sequência e, muitas vezes, a sua utilidade (se é que se pode usar esta palavra, neste contexto). Na verdade, há um ou dois capítulos que poderiam ser suprimidos, sem qualquer prejuízo para o enredo (o que não quer dizer que não se leiam com prazer). Embora haja um fio de ligação entre eles, pode-se ler cada capítulo independentemente dos outros, como se de uma coletânea de contos se tratasse. E, na minha opinião, um romance deve ter uma outra estrutura. Gostos, admito.

De qualquer maneira, João Ricardo Pedro, vencedor do Prémio Leya 2011, é um exímio contador de episódios da vida. Fico curiosa quanto a obras futuras.

Nota: posteriormente publiquei uma adenda a esta opinião.

8 comentários:

Ângelo Marques disse...

Olá Cristina,
Tenho um "filling" similar, espero por uma nova obra para ver do que é feito JRP ;)
Comentários sobre a obra talvez para a semana :)

Cristina Torrão disse...

Cá fico à espera, sigo o Destante "de perto" ;)

Carla M. Soares disse...

Curiosas as opiniões que tenho lido sobre este livro, dividem-se bastante!
Ainda não me apeteceu terrivelmente, mas suponho que mais cedo e mais tarde tenho que descobrir por mim própria o tipo de livro que é.

Ó Cristina, não vai ler o meu livrinho a seguir ao primiado, pois não? Que embaraço.

Carla M. Soares disse...

queria dizer prEmiado, evidentemente. :P

Anónimo disse...

Obrigado pelas notas de leitura.
https://www.facebook.com/premioleya

Cristina Torrão disse...

Carla, não te sintas embaraçada, antes, orgulhosa, por teres conseguido publicar num dos maiores grupos portugueses! De resto, são dois livros completamente diferentes, cada um tem o seu género e, em casos destes, é difícil dizer o que é melhor e o que é pior.

Miguel Pestana disse...

Já li muitas opinioes satisfatórios sobre este primeiro livro do autor, que será adaptado ao cinema, e ja está a ser traduzido para várias linguas.

Gostei de ler a sua opinião Cristina.

Cristina Torrão disse...

Obrigada.