Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.

15 abril 2012

O Bom Psicólogo



À falta de uma versão portuguesa, traduzi o título deste livro à letra, tanto do inglês, como do alemão (Der gute Psychologe). Trata-se de um romance sobre um psicólogo, escrito por um psicólogo, ou seja, alguém competente na matéria.

O enredo desenrola-se a três níveis:

1 - O psicólogo, especialista em perturbações de medo/pânico, é procurado por uma mulher, que «tem medo de se mostrar e cuja profissão é mostrar-se». Mostrar-se completamente, pois trata-se de uma dançarina de strip-tease, que começa a ter ataques de pânico sempre que tem de subir ao palco.

2 - As aulas que o psicólogo dá num curso nocturno universitário sobre a natureza da psicoterapia (origem do extracto que publiquei anteriormente).

3 - O drama da vida do psicólogo, que ama uma mulher casada, amor que é correspondido. Porém, ela recusa-se a deixar o marido, que sofre de uma doença do sistema imunológico, que nenhum médico sabe dizer bem qual é, nem como se deve tratar. O problema agrava-se, quando a mulher, também ela psicóloga, pede ao colega que lhe faça um filho, pois, devido à doença do marido, ela não engravida. Ele não vê como recusar. Nasce uma menina e o psicólogo vive num conflito terrível, pois nada mais deseja do que juntar-se às duas.

É notória a sua dedicação aos pacientes, tentando resolver-lhes os problemas, enquanto, por sua vez, tenta resolver os seus. É um livro melancólico, mas honesto, na medida em que fica claro que uma psicoterapia não acaba com as agruras da vida, "apenas" cria mecanismos que nos permitam lidar com essas agruras.

Um excelente livro para quem se interesse por psicologia (sem termos técnicos), para quem morre de curiosidade em saber o que se passa nas consultas de psicoterapia, ou para quem gosta de reflectir sobre o comportamento humano.

E, last but not least, para quem domine línguas estrangeiras, pelo menos, enquanto não houver versão portuguesa.

1 comentário:

cris disse...

Cristina,
Desculpe usar este meio para a contactar mas queria convidá-la a participar na rubrica Ao Domingo com..., uma rubrica semanal do blogue O tempo entre os meus livros. Trata-se de fazer um pequeno texto falando um pouco de si e da sua obra. Deixo o link da rubricas que já saíram para poder apreciar melhor:
http://otempoentreosmeuslivros.blogspot.pt/p/ao-domingo-com.html

Caso aceite participar deixo o meu email para entrar em contacto comigo:
cris.delgado1@gmail.com
Obrigada
Cris